Ficção científica · Novidades · Séries

Nova série da MARVEL já tem trailer!

Foi lançado o trailer da nova série da Marvel, chamada ‘Manto & Adaga’, que será exibida no canal americano Freeform. A série será estrelada por Aubrey Joseph como ‘Manto’ e Olivia Holt como ‘Adaga’. Confira agora o primeiro traileir lançado:

mv5bn2exzgm1ntytmzk1ni00ytm5ltg2zgmtotvjyzq2ytvjngvmxkeyxkfqcgdeqxvymtexndq2mti-_v1_sy1000_sx1500_al_
Aubrey Joseph e Olivia Holt

Sinopse: Dois adolescentes de origens muito diferentes se veem sobrecarregados e despertados para superpoderes recém-adquiridos enquanto se apaixonam.

mv5bnta3odyymwqtyza4zi00mjlhltkxzdktnwqzmgezm2q3ngvmxkeyxkfqcgdeqxvynzmymjkyndg-_v1_

A série tem uma pegada mais adolescente e deve se passar em um universo diferente dos filmes do estúdio. A estreia está prevista para 2018.

Filmes · Suspense

Fragmentado

Fragmentado é um filme de suspense escrito e dirigido por M. Night Shyamalan, e estrelado por James McAvoy.

Semana passada assisti à este filme que vem sendo tão comentado na internet em geral, talvez pelo fato de que é estrelado por um ator renomado, mas também porque o diretor construiu uma carreira bastante sólida no universo cinematográfico. 

“Há alguém vindo te pegar.”

O filme é considerado um suspense, ou thriller como alguns conhecem, mas na minha opinião ele é muito mais um terror psicológico do que qualquer outra coisa. Muito bem executado, a propósito.

Não sou um grande apreciador de filmes desse gênero, e ainda não consumi muito da obra de Shyamalan (na verdade, o único que me vem a mente é ‘O Último Mestre do Ar’) mas me parece que o diretor realmente trouxe em Fragmentado uma de suas melhores obras, aparentemente um consenso do público a essa altura.

Sinopse: O escritor, diretor e produtor M. Night Shyamalan (O Sexto Sentido, Sinais, Unbreakable) retorna ao mundo do terror com Fragmentado, um thriller original que se desenvolve em torno da mente fraturada e brilhante de um homem.mEnquanto a divisão mental daqueles que tem transtorno dissociativo de identidade tem fascinado e frustrado cientistas, acredita-se que alguns podem manifestar atributos físicos únicos para cada personalidade, um prisma psicológico e cognitivo em um ser humano.

Embora Kevin (James McAvoy) tenha evidenciado 23 personalidades para sua psicóloga de confiança, Dr. Fletcher (Betty Buckley), ainda existe um submergido que está programado para surgir e dominar todas as outras. Forçado a sequestrar três garotas lideradas pela teimosa e observadora Casey (Anya Taylor-Joy, A Bruxa), Kevin se vê em uma guerra pela sobrevivência entre todos os outros dentro dele – e também entre os que estão em torno dele – enquanto as barreiras dentro dele se quebram.

Fragmentado é um filme muito bem escrito e dirigido, que desperta na audiência uma sensação incômoda de empatia e asco simultâneos pelo protagonista, ao mesmo tempo em que nos deixa na beira da poltrona até o último segundo. Enfim, um filme que com certeza vale o ingresso e o qual recomendo fortemente.

mv5bn2qyody2zdqtzmeyzi00zjcwlwjjyjctzdjjndc3oge3odljl2ltywdll2ltywdlxkeyxkfqcgdeqxvymjy5odi4ndk-_v1_sx1777_cr001777733_al_

“Ele fez coisas terríveis com outras pessoas e fará coisas terríveis com você.”

Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐

Leituras do mês

Abril de 2017

Comecei Abril tentando me recuperar do flop absoluto de Março. Peguei o roteiro de ‘Animais Fantásticos e onde Habitam’ para ler porque ele havia acabado de chegar e eu estava ansioso, mesmo já tendo assistido ao filme. Cheguei aos 40% e coloquei de lado.

Como escrevei no post anterior, devido ao flop de Março, eu tentaria pegar mais leve na programação do mês seguinte e foi o que fiz.

2017-03-31_1482910779253711031Planejei a princípio três leituras para este mês. Dois dos livros que quero ler foram emprestados, por isso os priorizei. O primeiro deles é ‘Sybil’, um livro que reconta a história real de uma mulher diagnosticada com Transtorno Dissociativo de Identidade, a qual desenvolveu dezesseis personalidades durante a vida. Ultimamente, tenho me interessado bastante pelo assunto, que parece estar mais em voga desde o lançamento do filme ‘Fragmentado’, que assisti recentemente e talvez faça um post sobre minhas impressões.

O segundo empréstimo foi ‘O poder do hábito’, que eu julgava ser autoajuda mas que, na verdade, é um livro que aborda o lado mais técnico da formação de hábitos e comportamento humano. Por último, quero muito retomar a leitura de ‘Cidade dos etéreos’, o segundo livro da série das Crianças Peculiares, que peguei para ler na época que o filme estreou e acabei deixando de lado até agora.

Esse será (ou está sendo) meu mês de Abril. Já passou da metade do mês e eu ainda não cumpri nenhuma das metas, mas farei de tudo pra evitar que o flop permaneça. E você, que leituras planejou para o mês?

Leituras do mês

O flop de Março

Habemus post novo!

O mês de Março foi estranhíssimo no quesito leitura, comecei muito animado com o que havia programado para ler e terminei o mês sem saber se jamais leria um livro de novo na vida.

Ok, isso talvez tenha sido um exagero, mas a verdade é que li pouquíssimo do que havia listado para a TBR de Março e, no fundo, não me arrependo tanto assim porque acho que eu realmente não estava num momento ideal para desfrutar de verdade das histórias que leria.

2017-03-01_1461286690076459180

Me programei para finalizar a leitura de ‘O festim dos corvos’, que já estava em andamento há uns bons meses. Também planejei terminar de ler ‘A sociedade do anel’ que eu havia recomeçado em fevereiro, um ano após ter lido até a metade do livro. Aproveitando, pretendia ler em seguida a biografia do mestre Tolkien, que também foi iniciada, mas parei por volta do primeiro terço. Por último, num surto de ambição descomedida resolvi que recomeçaria e terminaria a leitura de ‘A sombra do vento’ em ebook, que havia sido o mesmo caso do primeiro livro de ‘O senhor dos anéis’.

Quanta ingenuidade! Flopei magistralmente. No fim, não cheguei nem a terminar a leitura do quarto livro de ‘As crônicas de gelo e fogo’. Triste, porém como mencionei acima talvez não fosse o momento ideal para investir em livros que merecem minha total e absoluta atenção.

O próximo post será sobre as leituras que programei para Abril, onde fica claro que peguei mais leve para tentar não repetir o erro. Veremos…

Jovem adulto/YA · Netflix · Séries

iBoy

iBoy é um filme original Netflix estrelado por Maisie Williams e adaptado do livro de mesmo nome.

Sinopse: Antes do ataque, Tom Harvey, de dezesseis anos, era apenas um garoto comum. Mas agora fragmentos de um iPhone quebrado estão embutidos em seu cérebro e causando um efeito extraordinário. Porque agora Tom tem poderes. A capacidade de saber e ver mais do que ele poderia imaginar. E com o incrível poder vem o conhecimento – e uma escolha. Buscar vingança contra as violentas gangues que governam sua vizinhança e agrediram sua amiga Lucy, ou ficar quieto? Tom está no controle quando todo o resto está fora de controle. Mas o preço a ser pago é perigoso. E as consequências são assustadoras…

Fonte: Skoob

mv5bzdc3zjzjztqtymjlyy00njk2ltk2ogytymm0owq2otkxmtuyxkeyxkfqcgdeqxvymtk5mjkzmju-_v1_sx1777_cr001777737_al_
Maisie Williams como Lucy

O filme tem um roteiro bem construído, mas que poderia ter sido melhor executado. As cenas de ação não foram muito bem exploradas e, por isso, o espectador pode ficar com uma sensação de que falta algo. Porém, as atuações estão ótimas, com destaque para a queridinha do público Maisie Williams, que ganhou destaque ao interpretar Arya Stark em Game of Thrones; a atriz transmite brilhantemente as emoções da personagem, que logo no começo do filme passa por uma situação trágica. Também é interessante ver a construção do personagem de Bill Milner, o iBoy, que se vê forçado a colocar seu lado heroico em ação.

7807446
Edição internacional de iBoy

O livro, escrito por Kevin Brooks, foi publicado em 2010, porém ainda não possui edição brasileira.

Você já assistiu ao filme? Se sim, conta aqui nos comentários o que achou!

Drama · Jovem adulto/YA · Netflix · Séries

13 Reasons Why estreia na Netflix

A série original da Netflix, adaptada do livro homônimo de Jay Asher, estreou sua primeira temporada no dia 31.

os2b132bporqu25c325aas2b
Capa da nova edição brasileira do livro

A temporada possui 13 episódios, o que remete ao título do romance bem como ao enredo, no qual uma adolescente conta os treze motivos que à levaram ao suicídio.

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Fonte: Skoob

mv5bmje3ndq2mtiynl5bml5banbnxkftztgwodgwnja0mti-_v1_sx1500_cr001500999_al_
Dylan Minnette e Katherine Langford

A adaptação foi produzida por Selena Gomez e adaptada por Brian Yorkey, com Katherine Langford e Dylan Minnette no elenco, interpretando os protagonistas Hannah e Clay.

Assista ao trailer:

E aí, quem já está maratonando a série madrugada a dentro? Conta ali nos comentários o que está achando!

Drama · Jovem adulto/YA · Resenhas

Azeitona

Já faz um tempo que li, mas nunca cheguei a postar minha opinião sobre Azeitona, de Bruno Miranda, a venda nas melhores livrarias mundiais brasileiras e com prefácio da renomada autora Mortadela (mentira, mas bem que podia 😝).

capa-azeitona-bruno-miranda-683x1024
Azeitona, do youtuber Bruno Miranda

Sinopse: Ian e Emília não trocaram mais que duas palavras desde que começaram a estudar juntos, mas é o nome dela que vem à mente dele quando precisa de uma parceira para um plano mirabolante: participar de um reality show sobre casais adolescentes que vão ser pais. Isso em troca de um cachê capaz de resolver todos os seus problemas.
O fato de que eles não são um casal nem têm planos de ter um bebê de verdade parece apenas um detalhe. Mas a vida reserva surpresas, nem sempre boas, para quem acredita que é fácil inventar a própria história.
O romance de estreia de Bruno Miranda, criador do canal Bubarim, no Youtube, é uma história divertida e tocante sobre relacionamentos familiares.
Fonte: Skoob

Nota: ⭐⭐⭐⭐

Foi uma leitura muito divertida e que entreteve o tempo todo, um livro rápido de ser lido e com um tom de leveza e humor, apesar do tema sério retratado sobre gravidez adolescente. Por ser o primeiro romance do Bruno, temos que dar um desconto, já que é óbvio que ele não lançaria uma obra-prima logo de cara. O melhor de tudo é saber que esse é um dos poucos livros de youtuber que realmente foi escrito pelo youtuber. Um livro que atende muito bem às expectativas do público para o qual é voltado, formado pelos seguidores do Bubarim. Enfim, recomendo a leitura.

 

*Este post foi feito originalmente no @maisumqueleio.